Olhe-se, 2020

Animação a aquarela de passos femininos do funk carioca. A artista entrou em contato com o universo de tutoriais caseiros do Youtube que ensinam variações do quadradinho, e que passam a fazer parte das atividades pandêmicas, pela busca de novas expressões e habilidades corporais –  assim como o fazer extenuante de uma animação artesanal. Em tempos de isolamento, trabalhar pela internet tornou-se uma adaptação do processo da artista, que até então criava animações a partir de filmagens próprias. "Olhe-se" dá nome a uma música de Karol Conka, uma das funkeiras que trouxeram o feminismo como pauta. Ao olhar para si, a mulher pode sentir sua potência na arte, na dança e na pintura, e compartilhar o que sabe com outras mulheres, conectadas entre si pelo tambor ancestral do funk.Composto por 101 aquarelas em papel A4 Canson c'a Grain 180g.

Watercolor animation of female moves of funk carioca. The artist got in touch with the universe of homemade dance tutorials in Youtube, which teach variations of the so-called "quadradinho" move, and are now part of the pandemic activities, for the search of new expressions and body abilities – so as the extenuating work in handicraft animation. In times of isolation, working through the internet became an adaptation in the artist's process, who, until then, created animations from her own filmed footage. "Olhe-se" (Look at Yourself) gives name to a song from Karol Conka, one of Rio's funk singers who brought feminism as a subject. By looking at themselves, women can feel their potency in art, dance, and painting, and share what they know with other women, all connected through the ancestral drum of funk.

 

Composed by 101 watercolors in A4 paper Canson c'a Grain 180g.

  • Facebook
  • Instagram
  • Preto Ícone Vimeo